Um pedido de ajuda… – Crónica 2ª

O Cantinho do Ricardo Para hoje quero atacar um tema que acaba por ser um pouco mais forte. No entanto, acho que toda a gente tem que ouvir e pelo menos tentar entender. Por motivos de confidencialidade, não irei revelar nomes e como tal, vou-me referir à outra protagonista como “meu amigo”. Um dia destes … Continue a ler Um pedido de ajuda… – Crónica 2ª

Vivências Anormais #15 – Não sou como os outros…

Boa tarde, como estão? Pois é, foi com um grande atraso (visto que o post não quis ficar Agendado) mas hoje tenho já um texto “novo” para vocês !, e já que estava na hora de mais 😀 . Mas vá, vamos à devida introdução para os novos leitores para depois se deliciarem… Pois bem, … Continue a ler Vivências Anormais #15 – Não sou como os outros…

Procurei…

Foi no dia 12 deste mesmo mês que celebrei o meu 21º aniversário, e como tal, partilhei na minha página do Facebook um pequeno excerto (uma versão não final), do Esquecido, o meu próximo livro, a ser publicado este ano. Espero que gostem 🙂 : "(...) O esforço que fazia para procurar as coisas na … Continue a ler Procurei…

Vivências Anormais #6 – O tamanho do meu coração

Boa noite a todos 🙂 , o natal foi bom? Espero que sim, e cá venho eu trazer-vos uma prendinha... E o que é? Mais um texto do Ricardo, e devo confessar, que dos meus favoritos e que se torna difícil de esquecer por uma frase em particular... Mas vá, vamos à devida introdução para os … Continue a ler Vivências Anormais #6 – O tamanho do meu coração

Seis Voltas Para Adormecer

Boa noite 🙂 Que tal um texto para esta noite fria e com chuva já prometida? Espero que gostem... Seis Voltas Para Adormecer Cheguei a casa acompanhado pela chuva insistente e pelo vento gélido que me congelava os ossos. Duvidava sequer se teria os meus dedos dos pés inteiros… Mas eram a minha única companhia… … Continue a ler Seis Voltas Para Adormecer

Agitando o Pelo

A luz do carro ofuscou-me por completo ao atravessar a estrada. Lembrei-me logo do natal, de quando eu, em mais pequeno, ficava vidrado com as luzes da gigante árvore de natal que era montada lá em casa. O carro buzinou, fazendo-me sair apressadamente do meio da estrada. A noite estava novamente fria e o som … Continue a ler Agitando o Pelo

O Primeiro Autocarro da Manhã

Muitas vezes quero simplesmente escrever e nada de jeito se passa na relação que os meus dedos têm com o meu lado criativo. Como se houvesse um bloqueio que não me deixa escrever aquilo que quero. Outras vezes vou directamente ao protejo que tenho em mãos para "descarregar" toda essa excitação. Hoje tentei algo... Não sei … Continue a ler O Primeiro Autocarro da Manhã

“Bancada”

Estava felicíssimo. Estava radiante! Como se todos os meus problemas tivessem desvanecido. Mas então vi-te!Vi-te abatida.Vi-te caminhares até à bancada e apoiares o teu corpo fragilizado sobre os azulejos que quase podia jurar terem-se tornado vermelhos com tamanha dor.As tuas pernas fraquejaram..., não aguentavam! Foi aí que apareci. Foi aí que te agarrei.Rodei-te com os … Continue a ler “Bancada”

Ossos

E, como que uma resposta aos meus desejos, ouvi as rodas a raspar no asfalto em minha direção. Só tive tempo de olhar e ver que, quem conduzia, era alguém por quem não esperava… Afinal alguém tinha um grande ódio a mim – pensara. O veículo embateu nas minhas pernas e, a última coisa que … Continue a ler Ossos

Gotas da Vida

Todos os dias olho pela janela, desejando estar aí fora… contigo. Desejando poder sentir as gotas de água caírem-me na cara e com elas, lavar todo o meu ser: diluir as minhas mágoas… as minhas tristezas… as minhas desilusões. Fecho os olhos. Estou aí contigo. Sinto-te! Sinto que não estou sozinho. Sinto que estou acompanhado… … Continue a ler Gotas da Vida

É como se estivesses a gritar… e ninguém ouvisse… Mas há quem ouça!

Todos temos esses dias… Aqueles dias em que nos sentimos em baixo… aqueles dias em que, ao olharmos para o lado, não vemos ninguém… dias esses que é difícil olhar pela janela da vida e ver, com verdadeiros olhos de ver, aquilo que aconteceu. É difícil! É difícil porque sentimos que nos tiraram o chão. … Continue a ler É como se estivesses a gritar… e ninguém ouvisse… Mas há quem ouça!