O Que é o Amor?

Desde sexta-feira que ando a pensar sobre este tema. Sobre escrever sobre o amor. Do que é, para mim, o amor. Do que é amar alguém. Da essência deste sentimento tão complexo, e ainda hoje, difícil de gerar consensos. Mas eu pensava, pensava e bem que fazia o pino, e todas as ideias, se desvaneciam. Mas foi com essa ideia que decidi começar este texto E porquê?

Porque percebi.

Que o amor não se define assim. Que mesmo para mim, que já criei histórias e personagens em que o romance corre no seu núcleo, definir o conceito já não é algo tão… linear?

Porque quando mais pensamos na questão, mais caímos no senso comum do que é o conceito. Do que é o sentimento.

Foi só há coisa de três anos que comecei a aprender o que é este sentimento que ou nos alimenta com uma alegria e vontade de viver inexplicável, quer nos consome, corroendo o coração partido. Sem esperança…, perdido.

Continuar a ler “O Que é o Amor?”

O (meu) teu luar

Nem no verão o frio dos lençóis desaparece. Que a sensação de solidão se abate. Não! E é assim, logo pela manhã, que olho para o meu lado. Aquele em que costumavas dormir, sabes? Que costumavas olhar-me, pela manhã, quando o … Continuar a ler O (meu) teu luar

No café…

Encontramo-nos? Naquele café onde te vi pela primeira vez? Onde o teu olhar varria a sala, como se procurasses alguém? Alguém que teimava em não aparecer?

Encontramo-nos novamente naquele café? Aquele em que os comboios faziam tanto barulho que julgavas que, na multidão que deles desciam, estivessem que esperavas?

Encontramo-nos no café? Na mesa redonda, onde o teu olhar esmoreceu para o visor do teu telemóvel? Esperando que, de alguma maneira, ele desse sinal de vida?

Encontramo-nos? Naquele café em que o teu olhar esverdeado cruzou com o meu, na mesa oposta? Em que um sorriso parvo se formou ao ver uma réstia de natas na ponta do teu nariz? Onde ficaste tão vermelha que o telefone deixou de ser o centro das atenções?

Continuar a ler “No café…”

Eu consegui, e vocês!? – Crónica 5ª

Bem, olá meus queridos lindos! Saudades minhas? Eu, como sempre tive imensas saudades vossas! E, deixem-me que vos diga que estas semanas apesar de caóticas, têm sido maravilhosas e é só coisinhas lindas para vos contar! Lembrem-se da minha coluna há umas semanas sobre o Sexo e a Cidade e a inspiração e procura do meu “grande amor”? Bem, fui atingido pela seta do Cupido (quem não conhece esta divindade greco-romana não é digno de continuar a ler!). Mas vá, sejamos sinceros, o meu caso é um pouco diferente. O meu caso já dura há anos e quando digo anos … Continuar a ler Eu consegui, e vocês!? – Crónica 5ª

Quando te disse…

Quando disse que te amava, não te queria tirar a vida. Quando disse que te amava, não queria que deixasses de viver por mim! Quando disse que te amava, o que eu queria dizer, era que queria passar o resto da minha vida contigo. Que queria, ao amar-te, saber que tinha a tua confiança, para ter a minha vida. Que te amava, para tu teres a tua vida. Para me deixares sair comigo mesmo, ou com aqueles meus amigos e amigas dos tempos da faculdade, sem ter de te dar justificações como que extras. Quando disse que te amava, disse-te que … Continuar a ler Quando te disse…