A fórmula mágica de uma história

2018, O Caderno do Diogo

Muitos se perguntam qual a formula mágica de uma história. De como se escreve. Do que é, de facto, escrever, e de como podemos maximizar isso para termos os nossos leitores e editores agarrados a cada página. Muito se pensa sobre a matéria, mas esta fórmula de que vos falo hoje, se pensarmos bem, é o que leva a uma boa história. É o que nos faz virar página ante página, ansiosos por saber mais. Mas de que forma falo? Afinal de contas, o que é que move uma história?

Existem alternativas às editoras?

2019, O Caderno do Diogo

Eu espero que a minha editora não me “mate” com um título destes, mas acho que se vai perceber o seu fundamento. Acontece que temos os escritores que gostam de escrever, sendo que deste gostar pode advir duas questões: quererá o autor publicar e seguir uma carreira literária, ou quer somente publicar para um lançamento pensado só num conjunto de pessoas?

As perguntas parecem simples, mas como há tantos meios disponíveis, decidi pôr o ponto nos “i” e passar o que tenho vindo a saber pelo contacto com outros autores…

Ser autor em Portugal

2019, O Caderno do Diogo

O Caderno do Diogo – Ser Autor em Portugal

Cheguei àquele ponto. Aquele que é quase que tabu para quem ama escrever. Quem quer, de facto, ter uma carreira no nosso país. Tabu não é propriamente a palavra certa, mas sim sofrimento. É aquele assunto que faz um autor prespetivar-se quer a ele, quer ao mercado e país. E custa. Muito!

O APÊNDICE DO DIOGO #3

2019, O Caderno do Diogo

Penso que já sabem o que é este segmento. Este apêndice adicionado ao Caderno do Diogo. Mas se no Caderno dou dicas por mim desenvolvidas, no Apêndice quis mostrar-vos o que outros autores e/ou criadores de conteúdo fazem. O que desenvolvem e tão bem. Sendo algo que vou tentar atualizar mensalmente, hoje está na altura de o fazer. Especialmente quando o fim de semana é uma ótima quebra na rotina semanal para pôr as ideias em dia.

Como promover um livro?

2019, O Caderno do Diogo

O Caderno do Diogo: Promover o livro

Nem acredito que esta rubrica está quase a ficar concluída. Que dentro dos próximos meses poderão ter estas entradas adaptadas para o EBOOK e ainda com conteúdo exclusivo a essa edição gratuita. Nunca quis dar-vos um guia. Nem definir o que digo como certo. Afinal de contas eu próprio vou aprendendo, e havendo uma heterogeneidade no ser humano, o mesmo é aplicável na escrita. Somos todos diferentes e todos nós temos diferentes histórias e formas de a contar dentro de nós.

Mas posta esta introdução saudosa de lado, quero falar-vos de como é promover um livro e de como o podemos fazer. Têm ideias? Se sim, quero saber de todas após lerem esta entrada. Mal posso esperar!

O Caderno do Diogo: Como rever um manuscrito?

2019, O Caderno do Diogo

Esta é daquelas perguntas que me faço constantemente, especialmente quando estou na reta final de um manuscrito. Muito porque significa que a parte divertida terminou para dar lugar a uma mais minuciosa e aborrecida. Porém, nesta publicação, quero dar-vos pontos chaves a ter em atenção antes de começarem a fazê-lo. Vamos tentar tornar isto mais divertido?

O Caderno do Diogo: Como lidar com as críticas – Parte I

2019, O Caderno do Diogo

Na publicação passada falei dos leitores-beta. Da forma como eles nos podem ajudar no trabalho que estamos a desenvolver na nossa história. Porém, algo de muito importante vem depois disso. Algo que acontece só quando começamos a receber o feedback. Com isto, e como diz o título do post, falo-vos das críticas.

O Apêndice do Diogo #2

2019, O Caderno do Diogo

Penso que já sabem o que é este segmento. Este apêndice adicionado ao Caderno do Diogo. Mas se no Caderno dou dicas por mim desenvolvidas, no Apêndice quis mostrar-vos o que outros autores e/ou criadores de conteúdo fazem. O que desenvolvem e tão bem. Sendo algo que vou tentar atualizar mensalmente, hoje está na altura de o fazer.

O Caderno do Diogo: Os leitores-beta

2019, O Caderno do Diogo

Estamos a escrever. Embrenhados no nosso mundo. Temos uma rotina definida e vamos estando entretidos na nossa escrita. Na nossa criação. No nosso trabalho. Mas será que deveremos começar já a procurar opiniões? Como o poderemos fazer? A resposta pode estar aqui…

O Caderno do Diogo: Escrever com a tristeza

2019, O Caderno do Diogo

Escrever a nossa história pode ser solitário. Requer muito tempo, talvez até anos. O mesmo para a pesquisa que fazemos. Neste trabalho surgem muitos sentimentos. Quer sejam de alegria, quer de frustração, a tristeza acaba por aparecer. Por tocar, de alguma forma, cada uma destas dimensões.

Mas será que usamos corretamente a tristeza? Que conseguimos canalizar para a escrita?