O (meu) teu luar

Nem no verão o frio dos lençóis desaparece. Que a sensação de solidão se abate. Não! E é assim, logo pela manhã, que olho para o meu lado. Aquele em que costumavas dormir, sabes? Que costumavas olhar-me, pela manhã, quando o meu cabelo ainda estava todo espetado e o teu numa autêntica confusão, e que me … Continue a ler O (meu) teu luar