O filme favorito da infância

Estive muito tempo a pensar nesta publicação. Era não só importante pelo conteúdo, como acredito como o filme se tenha refletido no meu crescimento de uma forma que outros talvez não o fizeram. Mas qual será?

Atendendo a tudo o que vos falo aqui no blog, nomeadamente no que toca ao universo do Harry Potter e da Disney, muitos podem pensar que a escolha recaí aí. E por muito que seja verdade a existência desses filmes na minha vida, o Harry Potter era dos filmes que só via no cinema e só quando passava na televisão. Na altura quer um VHS como DVD (que começava a aparecer no mercado), eram caríssimos, pelo que como eu era também o único que gostava, lá tinha de esperar. Porém, os filmes da Disney, do Zorro, do Marco ou da Heidi nunca faltaram. O mesmo com os da Guerra das Estrelas, muito por conta da paixão do meu pai a esta saga. Já viram que a escolha era vasta, mas era só um único filme que me ocupava na época da infância. E esse era o filme da Múmia 2!

Faço parte da geração que via o Brendan Fraser aventurar-se pelo Egito com os seus amigos ou família (abomino a nova versão). O amor pela aventura, ficção e efeitos especiais era já grande na altura, pelo que ter um filme recheado de todos estes elementos ao qual se juntava a mitologia, era bombástico. Não me surpreende assim a forma como comecei a apreciar a mitologia, assim como o desejo de algum dia vir a ver as Pirâmides do Egito com os meus próprios olhos.

Nos livros isto também me foi moldando. Ainda me lembro de uma série que escrevi que aplicava a mitologia da Atlântica ligada ao Triângulo das Bermudas, assim como de uma série de Viagens do Tempo que escrevi há uns bons dez anos (feitos este ano). A “cena” é que criar histórias como mitologia é muitíssimo trabalhoso. Não é só fazemos jus à nossa imaginação, como aos leitores e procurar dar algo completamente único. A prova disto é que tenho o Uivares na gaveta. Um manuscrito baseado na mitologia ligada aos lobisomens e ao mundo fantástico, e que nasceu muito deste meu deslumbramento. O de pegar em elementos verídicos, e moldar até à nossa história. Chegar àquele ponto que parece tudo verídico. Tal como nos filmes da Múmia.

One Reply to “O filme favorito da infância”

Comenta aqui

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.