31 Coisas Que Não Sabes Sobre Mim – Parte II

Hoje trago-vos uma publicação que já está pensada há algum tempo. Confesso que estava reticente à sua realização, mas após ser inspirado pela Sofia Costa Lima (autora que já participou no segmento de “Conversa entre Autores”), compreendi a importância de uma publicação deste género. De que vocês me consigam conhecer melhor e até compreender de que forma estes pontos me motivam enquanto escritor e nas histórias que vos conto, ou até mesmo nos conteúdos que aqui partilho.

Quando comecei a escrever, tudo o que tinha era o título com o número 10. Após isso, passou para 20, e depois para 26. Cheguei à conclusão que alguns pontos poderiam ser por mim usados noutro post pelo que os apaguei. Com isto, fui escrevendo e lembrei-me de outros pontos que poderia incluir aqui. Com isto, passei para 31 pontos. Bizarro! Eu sei! Por isso, decidi dividir o post para vosso conforto. Posto isto, vamos lá conhecer-me um bocadinho mais. Prontos? Não vale rir!

(Podem ler a Parte I aqui)

Parte II

DSC_1017

O Licor Beirão dá-me sono

Isto é embaraçoso, verdade. Encontrei uma bebida alcoólica doce e que goste, mas dá-me sono. Há algo de muito errado com o meu metabolismo! Só descobri isto no Porto, e atendendo à sua eficácia, comecei a beber meio copo antes de ir para a cama. É noite santa!

Nunca fiquei bêbado

Se não aprecio bebidas alcoólicas – a não ser as que tenham mistura com fruta (pelo doce)- então não. Já me senti indisposto uma vez por causa de uma Sangria… mas isso é tão embaraçoso que deixarei para outro post! Aí sim podem rir-se de mim!

O café dá-me sono

A juntar à “bizarrice”, o café também me dá sono. E mete mal disposto. Até gosto do sabor, e de o beber sem açúcar. Mas não! Definitivamente que tenho um problema grave.

screenshot_20181022-183736.pngPrefiro jantares entre amigos, longas conversas/cafés, idas ao cinema/bowling ou serão de jogos a saídas à noite

É verdade! Confesso que sou uma pessoa caseira, mas prefiro mil vezes as atividades que vos dei, a sair à noite e dançar sem fim até às tantas da manhã.

Já espiei, juntamente com amigas minhas, uma outra “amiga” nossa

Verdade! Muito provavelmente dos meus momentos mais altos da vida académica. E o que mais adoro, é que foi como nos livros de “Uma Aventura”, como se eu e as minhas duas outras melhores amigas, estivéssemos à espera de descobrir algo macabro. E acabamos por descobri que a vida é lixada, e sermos traídos numa amizade, também! Não pensem que foi stalking ou atrás de um arbusto. Nada disso. Foi pelas quatro da manhã de uma noite fria de outono, em que nós os três, trajados, observámos tudo de um décimo andar. Me-mo-rá-vel!

Nunca fui muito fã da praxe

Espero não ser odiado por isto, mas para mim a canção de que a praxe serve para incluir e orientar, não me convence totalmente. E porquê? Porque para mim, fazia mais sentido ter esta orientação no Secundário, onde os nossos jovens são obrigados a decidir o que fazer no seu futuro, do que propriamente no ensino universitário. Com isto não digo que as praxes não são divertidas, engraçadas. Lembro com muito carinho diversos momentos e experiências que vivi, mas não vejo piada em se estar de joelhos sobre pedras da calçada por horas sem nada fazer.

Meto primeiro o leite e só depois os cereais

Não consigo perceber porque raio esta questão é algo de debate, porque para mim faz todo o sentido ser assim. É que aqueço sempre o leite primeiro no micro-ondas e depois junto os cereais. Não me fazia sentido estar a usar diversos utensílios de cozinha para isto, pois não?

Faço voluntariado

DSC_1536

Envolvi-me no voluntariado este ano, após uns meses de adaptação no Porto. Precisava de algo mais e de aproveitar o meu tempo livro com outra coisa. Com isto, e após procurar, ingressei na equipa da associação IPSUM Home, no projeto Agir +. Esta associação actua na área de Matosinhos, dando Consultoria, Formação e apoio na área do Empreendedorismo. Sou responsável por toda a promoção digital assim como construí o novo blog para uma nova difusão. O voluntariado é sempre algo fantástico e se tiverem nem que seja umas horas por semana, tentem! É tão bom quando ajudamos os outros e, indirectamente, àqueles que recorrem a estes organismos.

Doo sangue

Algo que sempre quis fazer e comecei há, sensivelmente, dois anos. Apesar de a minha veia ser curva e de tornar moroso o processo, não deixa de ser algo bom e positivo. Infelizmente, desde que fui para o Porto, ainda não consegui arranjar sítio ou altura para ir. Confesso que não gosto de fazer muito esforço após cada dádiva. Fico sempre “abananado.”

Amo fotografiaDSC_0822

O Instagram é, por isto, o meu grande vício, e não há um único dia em que falte em publicar uma fotografia. Nunca tirei nenhum curso nem qualquer tipo de formação: é tudo a olho. Como vejo!

Já acabei de escrever o meu terceiro livro e comecei o quarto!

Recebo sempre diversas perguntas por mês sobre este assunto pelo que sim. É oficial e aproveito para confirmar que já acabei de escrever o meu terceiro livro e comecei há umas semanas o quarto. Mal posso esperar para que conheçam estas histórias, mas ainda vem aí um longo processo! Serão dos primeiros a saber!

Amo comer

Como não!! Obviamente que me inscrevi num ginásio para ajudar, mas este vício é tão, mas tão, ugh!

 

 

Tenho família em França

E amo-a imenso e tenho sempre imensas saudades. Nem consigo descrever a hospitalidade que sentimos com cada visita lá, e também da aventura que é quando regressam a Portugal! Amor aos primos, sempre!

Adoro viajar

Acho que é algo comum a todos, mas amo viajar. Quer dentro do país (por mais difícil que seja muitas vezes pelo preço absurdo das portagens e combustível), como fora. Em Portugal já fui a quase todo o recanto, mas ainda há muito local para ir. Lá fora, já fui a França, Espanha, Andorra, Brasil, Cabo Verde, Itália, Londres. Também passei pela nossa Madeira! Na lista de locais a visitar ou voltar está França (sempre), Itália, e adorava muito visitar Veneza, Pisa, Egito, Tailândia, Japão, assim como toda a Europa.

Já usei placa

Para terminar, algo chocante. Na minha adolescência usei aparelho por dentes tortos. Com isto, um deles não nasceu. Assim, e após ter os dentes direitinhos, usei por uns anos placa para esse dente só. E meu Deus se adorava aquilo. Claro que eram mais pontes negativos que positivos, mas adorava assustar os meus amigos, já que ao baixar a placa com a língua, o dente saltava. Tal e qual um verdadeiro vampiro! Era aborrecido para comer, claro está. Perdia o sabor das coisas e nesses anos nem sequer mascava pastilhas. Mas pronto, o passado já lá vai. No entanto tenho uma memória interessante deste tempo que prometo partilhar com vocês! Serei gozado até à eternidade, aposto!

Espero que tenham gostado de me conhecer mais um bocadinho e permitido também perceber como sou construído e de como isso se transforma depois nas histórias que escrevo para vós! Espero pelos comentários! 

 

5 pensamentos sobre “31 Coisas Que Não Sabes Sobre Mim – Parte II

  1. Gostei muito das curiosidades, pareceu-me interessante que o café te dê sono… eu vivo de cafeína para me manter acordada. :))
    Continua.

Comenta aqui

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.