Aquelas pequenas diferenças que não deviam existir… – Crónica 10ª

Ora aqui estamos nós novamente, não é verdade? Prontos para mais uma crónica desta pessoa maravilhosa? Antes demais, quero pedir desculpa já se acabo por ofender alguém ou isso mas acho que tendo em conta que a liberdade de expressão é algo bem presente na sociedade hoje em dia, há que aproveitar não é?

Bem, sei que há uns meses escrevi sobre o facto de ficar incomodado com o facto de não sentir que existe igualdade a nível de orientação sexual e, para o vosso espanto, venho novamente demonstrar o meu desagrado. Eu fui, sou e sempre serei grande defensor da igualdade dos direitos dos seres humanos, e ultimamente ando a pensar muito nas minorias, tanto que tenho pesquisado cada vez mais sobre o assunto e tenho dedicado grande parte das minhas conversas no trabalho tomarem esse rumo. Convém tentar perceber o pensamento das pessoas que nos rodeiam, afinal de contas, a sociedade de hoje em dia é feita de personagens bem fortes e cujo impacto é enorme!

Bem, hoje dedico-me mais ao tema do papel da mulher presente hoje em dia na sociedade. Afinal de contas, ainda existem tantos mas tantos comentários retrógrados nesse aspeto. Quer seja em tom de brincadeira, quer seja em tom mais sério. E digo isto somente porque em conversa de amigos na tasca habitual, deparei-me com um dos meus colegas ainda a tratar a namorada como se ela fosse algo que devia ser tratada de forma depreciativa. Onde raio é que isso está certo? Tratar a outra metade da relação de forma degenerativa e em tom apreensivo? E pior foi o empregado de mesa fazer exatamente o mesmo tipo de comentário. E onde raio é que cabe na cabeça de alguém assediar outra mulher ou pessoa sequer enquanto tens a parceira ao lado? Onde é que há respeito? Quer seja por ela, pela outra pessoa ou pela relação em si?

Sei que não posso falar nem nada, mas irrita-me. Irrita-me ao ponto de existirem pessoas assim. Antifeministas, anti-humanas, anti tudo! É por isso que um dos cargos mais importantes do mundo se encontra neste momento dirigido por um dos homens mais nojentos e tristes de sempre. Se ele pode, como é que nós não podemos ? É exatamente esse o problema de hoje em dia. Se um pode, quem pode negar que outro possa fazer o mesmo?

É triste ver como hoje em dia a vontade de emanar poder é algo que acaba por corromper a igualdade.

Comenta aqui

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.